Aprenda sobre gerenciamento financeiro

Aprenda sobre gerenciamento financeiro

O cenário econômico atual exige das empresas melhor controle sobre as movimentações financeiras que esta realiza. A falta de gestão financeira causa sérios problemas para a organização, dentre eles destacamos a falta de capital de giro, que é o dinheiro necessário para a operação da empresa, ou seja, falta dinheiro em caixa para cobrir as contas básicas e as saídas financeiras do mês são maiores que as entradas, fazendo com que o mês seja encerrado no prejuízo. Além disso, a falta de preço competitivo no mercado por não utilizarem técnicas de controle e de precificação dos produtos e serviços.

Como o gestor pode ter melhor controle financeiro e evitar esses problemas? Para isso, existem algumas ferramentas que auxiliam na gestão dessa área. Destacaremos aqui o Movimento Financeiro e o Fluxo de Caixa. Antes de falarmos das ferramentas, é interessante observarmos alguns termos:

Regime de caixa: é o registro das entradas e saídas somente após efetuar o recebimento/pagamento. Exemplo: Uma loja acabou de vender R$1000,00 em produtos, mas a compra foi dividida em 10 vezes de R$100,00. O cliente acabou de pagar a primeira parcela, então, será preenchido na planilha apenas R$100,00. As próximas parcelas só entrarão na planilha após serem efetuados os pagamentos.

Regime de competência: é o registro das entradas e saídas, independente se foi efetuado ou não o pagamento/recebimento. Exemplo: Uma loja acabou de vender R$1000,00 em roupas, mas a compra foi dividida em 10 vezes de R$100,00. Independentemente de ter recebido todo esse valor ou não, será tabulado na planilha no dia da venda o valor de R$1000,00.

Custos fixos: São todos os custos que são pagos todos os meses, independente do volume de vendas (por exemplo: conta de luz, aluguel, salário do funcionário, etc).

Custos variáveis: São todos os custos que são pagos de acordo com o seu volume de vendas (por exemplo: um fornecedor – pois a quantidade a ser paga a ele dependerá da quantidade vendida).

Custos Diretos: São os custos que são facilmente identificados, como gastos com o fornecedor, pois é possível identificar o quanto que foi pago em cada

Custos Indiretos: São os custos que não são facilmente identificados, como a conta de luz, uma vez que não há como prever a quantidade de luz gasta para vender uma quantidade x de peças.

Despesas: São valores gastos com bens e serviços para a manutenção da empresa, no caso, são consideradas despesas: a internet do administrativo, produtos de limpeza, copos plásticos, etc.

O Movimento Financeiro é uma ferramenta para controle das movimentações financeiras, ela serve de insumo para as demais ferramentas de gestão financeira, transforma dados em informações, auxilia no monitoramento do comportamento financeiro e em futuras projeções do caixa.   O registro é feito todos os dias obrigatoriamente no Regime de Caixa e há a separação de custos e despesas conforme os termos listados acima para melhor controle.

O fluxo de caixa capta as informações do Movimento Financeiro, tem como objetivo controlar as entradas e saídas, além de mostrar qual é o saldo da empresa naquele determinado período, ajudando na tomada de decisão. A partir desse saldo poderá ser feita uma análise sobre a situação da loja. Caso o saldo não seja o esperado, a empresa poderá retirar uma análise mais aprofundada do fluxo de caixa, pois ele compila os dados referentes aos principais gastos e entradas da empresa.

Ter bom gerenciamento financeiro é primordial para a maioria das empresas. Além dessas, existem outras ferramentas que auxiliam o gestor nesse tipo de gerenciamento, mas, de início, essas duas ferramentas ajudam consideravelmente e são simples de manusear e analisar.

Compartilhar esta postagem